Morte no Asfalto

imagem encontrada no site:https://www.wattpad.com/43441931-seven-deadly-sins-roleplay
imagem encontrada no site:https://www.wattpad.com/43441931-seven-deadly-sins-roleplay

Foram três tiros… Saíram três tiros de mim. E ao escutar o meu peito como uma concha do mar, escuta-se os estilhaços de bala, o barulho do vento e a tranquilidade da respiração sorrindo. Falei respiração, a “res” que puxa o ar e a “piração” dos delírios febris – mãos de sangue. Foram três tiros de bala…. Não poderei esquecer, estou eletrizado como quem acorda de um pesadelo. Não, meus amigos não aceitariam tal confissão. Eu que transmiti vida para eles, provocado sorrisos devotados, estou agora todo pulsão de morte. O que eu pude fazer foi apenas morder as balas; com o gosto metálico na boca pude destruir criando em mim uma nova constatação, um novo evento.

O primeiro tiro foi puro sulfato ferroso, não sei onde bem me acertou. Estava atravessando a rua e senti algo esmigalhar dentro dos órgão, caí feito uma andorinha que acerta a parede da igreja. Meu ouvido ficou quente, a dor não me fazia compreender o espaço. Vi meus lábios beijando o asfalto enquanto o meu rosto se comprimido. Procurei por um minuto me levantar, sem conseguir. Foi então que me puxaram feito um saco de lixo. Me puxaram feito água que desce no ralo pelo lado esquerdo a força gravitacional, enquanto era joga do caindo na tangencial de uma parede- em sloow eu era um corpo que caia na parede.  O segundo tiro me acertou na clavícula, senti uma dor tremenda. O estilhaço foi tão forte. que um pedaço do osso pulou para fora feito um dente arrancado da boca por um carro a 120 km/h . Tinha certeza que senti um pouco da dor dos ombros de Cristo ao carregar a cruz. Ao cair pela segunda vez, vi o rosto do atirador -O que eu fiz para você atirar em mim? meu sangue descia pelo ralo declinado do piste, minhas mãos em vermelho tentava pedir clemência em vão…. Foi então que teve o terceiro tiro, juro que não senti mais dor. Vi o céu, o menino que brincava com as nuvens… Um dragão, dois, três… Papai a brincar no balanço comigo. Uma pipa. Os carros buzinavam apressados para que os policiais retirassem um corpo que atrapalhava o trânsito, haviam meninos indo para escolas e pais apressados para o futuro de suas crianças. As fileiras de carros pareciam imensas centopeias.  O abismo, dito prateado em confetes se soltou.

imagem obtida no site:http://difform.tumblr.com/post/107555297488
imagem obtida no site:http://difform.tumblr.com/post/107555297488

(Ronaldo Mullan)

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s